top of page
  • Foto do escritorBianca Merola

Hoje é meu primeiro dia no Blog!


Hoje é meu primeiro dia no Blog e venho fazer uma reflexão como se fosse Deus falando comigo. Esse blog é a realização de um sonho e eu ofereço ele, além de todos vocês que vão acompanhar meus textos e realizações que estão próximas a se concluírem, ofereço a minha vózinha que perdi dia 01/04/2021, e prometo colocar todo o meu coração, dicas, experiências e sabedorias aqui, em prol da minha verdade .

Já que falei dela, vou falar sobre a perda de um ente querido. Você já perdeu alguém que amava profundamente? Mas aquela perda mesmo que sabe que nunca mais irá ver a pessoa? Dói né? Como lidar com essa ausência? Como superar? É devastador, desesperador, triste, uma incerteza do futuro. Você se acaba de chorar mas lembra dos momentos bons, em quem se apoiar? É assustador pensar nos dias que estão por vir e esse laço é muito forte, assim como o meu era.

Muda a vida de quem fica, as lembranças ficam, aquecem o coração, mas a saudade é insuportável, dá um vazio, a vida fica mais silenciosa e sempre ali irá faltar um integrante. Você sabe lidar com tudo isso?

O luto é um estado que tem que ser passado, ele se instala no peito, você perdeu um propósito. Levamos meses, até mesmo mais de ano para que essa perda volte a se sentir bem. No meu caso passei por vários estágios, primeiro foi a negação eu não aceitava o que tinha acontecido, lutei contra a realidade, não acreditava, após disso senti raiva, me perguntava porque Deus era contra mim, fiquei agressiva com todos, me questionava, achava a vida injusta, queria minha avó de volta mesmo sabendo o quão doente ela já estava. Uma imensa tristeza, solidão, minha depressão piorou, minha dose de remédios foi aumentada, e hoje depois de meses só veio a aceitação, deixar de lado sentimentos negativos e aceitar a finitude da vida.

Essas são formas emocionais que temos durante essa situação, devemos sentir, expressá-las, mas agir de maneira saudável para lidarmos com esse momento. Quando não aceitamos nossa saúde mental e física, nossa carreira, vida financeira, relacionamentos e objetivos mudam. Eu senti sim solidão, culpa, apatia, perda de identidade, de fome, mas com a ajuda da minha terapeuta lidei com a perda, aprendi a lidar com o fim do olho-no-olho, abraços, beijos, presença. Nesse caso o fim foi difícil, não estava preparada para esse momento, por isso a dificuldade foi maior.

Enfim, a maneira que cada um lida com o luto é diferente, é única, pense na vida, na fé, na intensidade. É doloroso, mas é possível lidar e conviver com ele de maneira sadia. Permita-se ficar triste, seja paciente, lembre-se de coisas boas, tente manter o seu estilo de vida normal, se perdoe, dê uma pausa. Faça terapia se necessário, ajude o próximo. Não ofusque a sua perspectiva de futuro com a ausência de uma pessoa querida, lembre-se sempre: Deus não dá um fardo maior do que podemos carregar. Essa homenagem é para a senhora vózinha, te amo eternamente minha estrelinha.




14 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page